Tortura

19:05 Valéria Abelhinha 0 Comments


                            



Te queimar no meu fogo, te amar sem pressa, ultrapassar limites, acordar com o teu cheiro no travesseiro, esbarrar no teu sapato no escuro do meu quarto, te sentir sem intervalos, não negar os meus desejos, sussurrar sem preocupar-me com repetições: Sim eu te quero! Te quero, te quero!!

E é assim que tem sido meus dias, repleto de vontades não concretizadas, reprimindo sentimentos que faz com que eu me sinta menos inteligente, mais boba, menos equilibrada, mais frágil, menos mulher, mais menina.
 E assim eu me pego parada em frente a geladeira, esquecida do que ia buscar, analisando porque toda essa tortura. Tentando descobrir em que ponto eu me perdi de mim mesma, quando eu comecei a ser tão irracional e indefesa?

Abrir as janelas em meio a um furacão se formando não parece inteligente, mas, é tão gostoso te imaginar chegando, me abraçando, me sentindo. E é tão bom quando acontece. Não existe nada melhor do que o gosto da tua boca, não existe maior prazer do que você dentro de mim, e sua voz, ah! ela me hipnotiza como canto da sereia. Como eu queria te querer menos, mais eu não posso, não consigo, então me lamento todos os dias por estar presa a algo maior do que eu, algo que me contraria todos os dias, que me faz te querer cada vez mais, que me apresenta a uma versão de mim mesma que antes eu não conhecia, quando organizarei tudo em mim outra vez? Quando essa agonia vai passar?
Meu desejo tem me punido, me feito sofrer de tanta vontade, uma ânsia constante de você minha doce tortura!

Valéria Medeiros.







Você Poderá Gostar

0 comentários: