Contos - O Cotovelo Cor-de-Rosa

22:02 Thatiellen Amorim 10 Comments

 Bom Dia pessoal :D

  O conto de hj é um pouco diferente dos outros dois passados. Primeiro que foi enviado por um rapaz (Seja bem vindo ao blog, pensei que so meninas curtiam, mas fico feliz que o blog tenha o publico masculino como leitores tbm), segundo; que o texto abaixo foi parte de uma situação um pouco dificil pra o nosso leitor.
  Vamos conferir?!



- Então... Acho que não entendi. Aconteceu o quê exatamente, pro seu melhor amigo, que você conhece desde a infância, te odiar tanto? – perguntou-me Lilly, amarrando os cabelos loiros, quando sentamos na fonte de água que ficava no meio do shopping.
- Você vai me fazer falar sobre isso mesmo, né? – resmunguei, guardando no bolso uma embalagem do sonho de valsa que tínhamos acabado de dividir.
- Uhum, uhum, você vai falar sim, queira ou não, porque está comigo. Quando tô curiosa sobre um fato arranco confissões até das pedras que testemunharam ele. Bobão. Principalmente se é essa a razão de você estar aqui, e eu ter te trazido de carro. Anda, anda, seje hômi, desembucha, bote pra fora...
- Eu...
- ...as palavras. Mantenha esse zíper levantado, hômi! – brincou ela, sorrindo e apertando os olhos verdes pra mim – Sério, fala.
- Beijei a ex-namorada dele... – suspirei – Você sabe como isso é complicado.
- Hm. E...? 
- “E...” o quê? Foi isso. Bom... Ele tava junto no dia, era um encontro de amigos. E eu... Ok, eu não só beijei, eu também... Menti pra ele . Quando eu e ela nos afastamos pra longe do pessoal, eu disse que só ia pedir pra ela um conselho sobre um assunto.
- E ele caiu nessa? Que desatento, zente.
- Ele era meu melhor amigo. Não ia esperar isso de mim, né – falei com remorso.
- Tá... Hm... Duas coisas que eu não entendo... Primeiro, ele é idiota demais por ainda se importar. Gente, um pouco mais de amor próprio, pelo amor de Deus! EX! E, segundo... Você... Eu ia te defender, mas agora que você falou em mentira, fica difícil. Sabe, ele era o seu melhor amigo e tal...
- Sei que me aproveitei da confiança dele. Mas... Eu não ia ter coragem de falar pra ele ali, na hora! E não é como se eu fosse esconder isso dele pra sempre. Bem... Claro que eu pensei nisso. Seria seguro, afinal. Mas... Não sou “forte” o suficiente pra carregar uma mentira dessas pro resto da vida, eu ia contar. Menti só pra ganhar tempo.
- Sei... Mas não é bem isso o que eu quis reprimir... Quero dizer, uma amizade! De mais de dez anos! Sabe como isso é raro? Sabe quantas pessoas iam desejar isso, ter alguém com quem se sintam extremamente à vontade pra falar sobre tudo, pra serem elas mesmas, pra não ter que fingir algo que não são... Por mais que você se sinta sozinho, você sabe que sempre vai ter aquela pessoa, mesmo longe... Você trocou tudo isso por uma menina, cara. Uma menina. V***** você encontra em qualquer lugar. Você pode pagar, se quiser, sabia? Qual era a diferença? A dela era rosada, algo assim?
- Não... sei. E... Não sei pra onde você tá querendo levar essa conversa, mas foi só um beijo. Aliás... Um beijo surpresa.
- Hã?
- Um beijo surpresa. Beijo roubado.
- Seu... Safadão! – disse ela, batendo nas minhas costas – Mas cê sabe que por sorte não levou um tapa na cara, né?
- Aham... – olhei pro rosto risonho e macio de Lilly e me bateu uma dose de curiosidade – O que você faria? Se um cara te beijasse assim.
- Não sei. Se fosse um desconhecido, ia... Bater nele, acho. Mas se fosse um amigo, acho que eu ia levar mais de boa.
- Se fosse alguém por quem você não sentisse nada? – perguntei, triste.
- Ih... Não foi correspondido?
- Responde.
- Olha... Eu... Não sei... Eu provavelmente ia ficar pensando muito nisso. Tipo, 24 horas. Eu me conheço, sei que isso ia martelar muito a minha cabeça.
- Mesmo que fosse alguém por quem você não sentisse nada?
- Mesmo assim.
- Hm...
- Mas, me conta... Não estou entendendo... Que mentira você contou pro cara lá pra levar ela pro cantinho? E, se foi surpresa... Você enganou ela também?
- Eu tinha organizado o encontro, chamei uma galera. Eu... Gosto dela , já faz um tempo. Queria, sei lá, ao menos dizer. Não era pra ele estar junto.
- Ih! O bom e velho empaca foda...
- É...
- E então?
- Olha... Eu sabia que se eu não fizesse algo naquele dia, iria me arrepender pro resto da vida. Sabe aquele bagulho de: “melhor fazer algo e se arrepender do que se arrepender por não ter feito algo”? Eu tava nessa vibe... Eu preferia qualquer resposta, menos resposta nenhuma. Ela terminou com o Lucas há quase dois anos, foi depois do término que eu a conheci, eles dois continuam muito amigos até hoje, e desde aquela época eu... Sentia algo. Queria ela.
- Nossa, é pior do que eu pensava – disse-me Lilly, fincando os olhos profundamente verdes nos meus e me olhando como se eu fosse um doente.
- E sabe o pior? Eu já tinha até falado isso pra ela, há uns meses. Sabe, numa conversa descontraída, falei que era afim dela quando a conheci. Ela me disse que, se eu tivesse pedido na época, a gente ia sair com certeza.
- Hm... Acredito nela.
- Então, no encontro... Eu disse pro Lucas que tinha voltado a ficar afim da Isabelle. Isabelle é a irmã dela. Minha... Ex. Falei pro Lucas que ia levar a Louise pra conversarmos a sós sobre isso. Pra eu perguntar a ela se tinha alguma chance.
- HÃ? O QUÊ? SUA O QUÊ?
- Minha ex. A irmã mais nova dela... É... Minha ex.
- Como assim...?
- Eu só conheci a Louise quando ela terminou com o Lucas, num evento de animê. Sabe... Cara que tem ciúme de mostrar a namorada pros amigos. Eu vi a Louise, e, nossa. Que gata. Se você ver, não acredita. Pra mim é a menina mais linda dessa cidade, nunca vi mais linda, juro por Odin. A pele dela, tão... Branca. E os lábios... Nossa, o formato dos lábios, cara, rosados. E o cabelo preto, repicado... O nariz tão fininho... Os olhos bem pretos, e bem grandes...
- Tá bom, tá bom. Prossiga, homem. E a irmã?
- Eu não podia dar em cima dela. Ia arrasar o Lucas.
- Claaaro, melhor puxar a potranca pro cantinho e tascar um beijo nela com ele perto, nééé?
- Deixa eu terminar? Eu... Dei em cima da irmã dela. Ela não sabia beijar, hahah. Tive que ensinar. A gente se babou muito. Mas... Saímos por uns 3 meses, não durou muito.
- Deixa eu adivinhar... Você pegou ela porque queria se sentir mais perto da Louise. Se sim, isso na verdade é uma das coisas mais tristes que eu já vi um amigo ou amiga fazer, mas...
- Pensei muito nisso, ultimamente. Acho que, talvez sim. Mas não lembro de esse ser meu motivador principal... Realmente curti a Isabelle.
- Ela é... Tão bonita quanto a Louise? – perguntou Lilly, desviando o olhar.
- Haha. Tem muito amigo meu que diz que é mais, até. As diferenças... As duas são bem magras, mas ela é um pouco mais alta, enquanto a Louise é baixinha... O cabelo preto era bem longo, e não é repicado nas pontas como o da Louise. Os olhos eram verdes. Ela usava um aparelho, que eu achava lindo até. Hahah, e ela tinha umas olheiras escuras que tentava esconder com maquiagem quando tava comigo, mas que eu via nas fotos. Por causa delas o apelido dela era “panda”. Ela também tinha... Hã... – me encabulei pra falar – Um pouco mais de peito. A Louise não tem quase peito nenhum. Mas eu acho muito sexy peitos pequenos, me julgue. E... A pele dela era muito mais branca. Muito mais. Tipo, enquanto as pontas dos cotovelos e joelhos da Louise são um pouquinho amarronzadas, as delas eram... Rosadas.
- Cara, você tem uma tara por pele branca, hein.
- Não tenho vergonha de admitir isso... Curto meninas com peles pálidas mesmo. Tipo, não vem me dizer que é racismo, é só uma preferência. Assim como tem mulher que prefere homem bronzeado, ou as que só querem homens mais altos do que elas, e tal. E acho lindas muitas meninas de pele escura também.
- Naaah, eu entendi, relaxa. Mas então... A desculpa que você deu pro Lucas foi dizer que ia conversar sobre a Isabelle. Que você tinha voltado a ficar encantadinho pelos cotovelos rosados dela.
- Foi. Disse pra Louise que queria conversar, nos afastamos e a gente se sentou... – olhei ao redor – nessa mesma fonte. Daí pedi uns conselhos sobre umas coisas. A gente costuma aconselhar um ao outro pelo facebook. E então, disse que ia fazer uma brincadeira e ela topou, pedi pra ela fechar os olhos, e... Smack. Beijei.
- Seu filho de uma puta.
- Foi... Tão mal assim?
- Brincadeira. Seu safado, hahah. Mas e então, qual foi a reação dela??
- Sabe que... Ótima? Digo, não foi exatamente boa, mas pra quem esperava um tapa, um sorriso foi muito... Surpreendente.
- Sorriso?!
- De primeira ela falou “Por que você fez isso??”... Daí percebi que ela tava sorrindo. Tá certo que ela manteve um braço levantado pra me separar dela por um tempo, mas depois abaixou. Mas eu vi... Ela ficou sorrindo.
- Sorriu! Então... Então... Quer dizer que ela não se importou nem ficou com raiva de você... Talvez ela até gostou... Um pouquinho. E depois?
- Foi isso. Ela ficou me pedindo o motivo. Tipo, o motivo de eu ter feito aquilo. Mas eu não queria falar ali, na cara... Eu não tinha estrutura pra isso... Não pra levar um fora... 
- Talvez nem levasse!
- Não... Era certo que ia ser fora. Confia em mim, eu sei. Então... Então eu só disse que fiz porque quis. Não dei motivo. Depois de ela insistir um pouco, eu disse que era melhor a gente voltar pra livraria, que era onde estava o Lucas e o resto do pessoal. A gente foi, conversando. E... Nossa... Acho que nunca fiquei tão feliz... Ficava na minha cabeça “Eu beijei a Louise... Eu beijei a Louise! E ela... Sorriu” – fiquei sorrindo pra Lilly como um idiota – E ela... Ficou estranha o resto do passeio. Ela é cheia de TOCs, sabe? E tem... Asperger. Então dá pra perceber quando ela não tá à vontade numa situação, é muito claro.
- E quando o Lucas falou contigo, você mentiu.
- Foi fácil. Eu disse que não tinha chance, que a Louise falou que a Isabelle não gostava de mim. Ele disse que já previa, que era melhor eu nem tentar. E... Eu tinha até preparado essa mentira antes... Antes desse encontro, ele foi convidado pra festa de niver da Isabelle, e eu liguei pra ele lá, perguntando sobre ela... Mas só porque tinha um cara amigo dela que estava afim da Louise, e eu queria saber se estava rolando algo, se estivesse o Lucas diria. Daí pro Lucas não desconfiar que eu tava de olho na Louise, eu fiquei demonstrando raiva por ele ter sido convidado pela Isabelle e eu não. Por causa disso, ele diz que eu tenho inveja dele, por eu, além de ter beijado a Louise “à força”, não ter sido chamado pro aniversário. Tipo, eu queria desmentir isso, mas isso seria admitir outra mentira. Não tinha coragem pra isso ainda.
- Você é um ótimo mentiroso. Planeja muito bem, muito mesmo. E... “À força”...
- Acha que foi “à força”?
- Não... Beijo roubado acontece direto. Tem até aquela música do SandyJúnior (beeem antiga!).
- Dig Dig Joy, Dig Joy não-sei-o-que-lá...
- Aham. E... “À força” ia ser se você encostasse ela na parede e segurasse os braços, olhasse fundo nos olhos dela... Ri, ri, até que tem muita mulher que curte ser pegue à força assim. Lógico que não por qualquer babaca. Mas, sobre o que ele disse de “inveja”... Não acho que é inveja... Você pode ser só um tarado.
- Hm?
- É, pensa bem... As duas meninas mais lindas dessa cidade, segundo a opinião do amante de cotovelos cor de rosa aqui. Você pegou uma, e depois a outra. Provou dos lábios das duas. O Lucas que deve estar com inveja disso, hahahah. Mas você provou. Pode se lembrar quando quiser. Dos lábios... Do cheiro delas...
- Não... Não acho que seja esse o caso...
- Como não? Se imagina de noite, você deitado, sem nada pra fazer, porta do quarto fechada, daí de repente você tem uma... “Armada de barraca”, hahah... Quanto material com elas duas deve ter na sua cabeça pra você se divertir, hein?
- Lilly! – falei, envergonhado, fincando os olhos no chão.
- Calma, to brincando, hahah. Mas você é homem, tem necessidades. Tudo bem. E, se você se masturbar muito, eu acho que entendo, mesmo considerando desnecessário... Você perdeu um amigo porque queria a garota, e não conseguiu ela. Deve estar muito triste. Pessoas tristes, elas... Se masturbam mesmo que isso não resolva nada.
- Não estou me masturbando loucamente, e não foi tão triste no começo. Eu realmente não tava me importando... Achei que perder ele ia valer à pena, se fosse pra fazer aquilo. Achei que eu não tinha o direito de deixar uma amizade interferir em algo que parecia ser tão bom, pra mim e pra ela, se ela correspondesse.
- Olha...
- Foi um erro... – falei, olhando nos olhos da Lilly, não querendo passar uma impressão errada de quem não estava arrependido - O pior erro.
- Eu sei disso. Eu sei que foi um erro – disse ela, carinhosamente, passando a mão no meu rosto – Eu sei, tá? Relaxa.
- Sabe?
- Uhum. Como ser humano, você tem o direito de ter pensado dessa forma pelo menos uma vez na vida. Pelo pouco que conheço de você, você ainda é... Eu não diria imaturo, mas não sabe de muita coisa. Não vivenciou muita coisa. Você ficou jogando videogame até os 18, CARA! Só agora que começou a sair de casa, a lidar com pessoas. Situações difíceis assim vão se repetir. E... Pra gente valorizar certas coisas, a gente precisa perdê-las primeiro. Se tudo der errado... Pelo menos esse aprendizado fica, ok?
- Hoje eu sei... – falei, quase chorando – Que foi um erro. Eu... Olho em volta, e vejo o que perdi com isso... E me sinto... A pior pessoa do mundo. A mais... Nojenta. O quanto eu devo ter decepcionado ele? Não valeu à pena. De jeito nenhum. Ainda mais porque, de certa forma... Perdi ela também.
- Hm? Achei que tinha ficado de boa com ela.
- Quando o Lucas descobriu... Ele enfiou todo o tipo de merda a meu respeito na cabeça dela. Ela não deixou de falar comigo... Mas me confessou que se sente meio desconfortável, nessa situação. Que não sabe o que fazer. É claro que o Lucas ganha a preferência dela inevitavelmente, eles são muito amigos, têm muita intimidade.
- Hm, muito?
- Muito, desde que terminaram. O Lucas gosta dela até hoje... Ele alimenta esperança de poder voltar, mesmo ela tendo recusado os pedidos de volta dele. E mesmo assim, mesmo sabendo disso, eu...
- Você fez muita merda. Mas... Gostar da Louise não é um erro, fica de boa.
- Parafraseando “Eu, meu irmão, e nossa namorada”?
- Tava até achando que esse filme foi que te motivou, tô certa?
- Há! – sorri – Tá sim. A diferença... É que no filme ela já estava apaixonada por ele... – meu sorriso ficou melancólico e Lilly percebeu. E, de repente, como que por impulso, ela se inclinou pra frente, e me beijou.
- Lilly? O... O quê...?
- E aí, é bom? Isso é um beijo roubado – ela me abraçou, sorrindo, e falou no meu ouvido – Vai dar tudo certo, tá bom? Você nunca está sem nada, não enquanto tiver a si mesmo. Se valorize, saiba quem você é. Enquanto você souber perfeitamente quem você é, o que você quer da vida, as coisas que você quer fazer... Nada nesse mundo pode te derrubar.
- Talvez eu... Não saiba ainda.
- Se você ainda não souber, descubra – disse, ainda sorrindo – por agora, você deve ter muitas dúvidas, sobre muita coisa, mas... Ache as respostas, ok? Concentre tudo o que puder pra achá-las... E quando você achar... Tanta, mas tanta coisa vai ficar clara pra você... Você vai entender coisas estranhas, das quais agora só tem uma vaga ideia, como... Como o amor. Sua vida vai começar. Ache elas. Não deixe mais os adultos te dizerem o que fazer, esse tempo já passou. Me promete... Que quando você achar as respostas... Você vai fazer tudo, tá? Tudo – ela estava chorando um pouco. Acho que eu também.
- Prometo – gaguejei.
- Preciso ir embora, já. Bom encontro com seu amigo. Tente ser sincero, só. Com você mesmo e com ele. O resultado não importa.
- Tá – gaguejei.

- Fica bem, taradinho por cotovelos cor de rosa.

 

  Como vcs podem ver no texto, uma situação que envolve relacionamento amoroso e amizade o deixou em uma situação chata por causa do amigo, mas o sentimento dele falou mais alto e ele seguiu. Isso muito comum entre a juventude, pois nessa fase vivemos de emoções e agimos pelo impulso. Podemos nos arrepender de tal ato como tbm não. E é isso que torna a vida mais legal, sabia? Quando somos mais velhos, ficamos mais pensativos e indecisos sobre o que fazer numa situação X, temos medo de arriscar e avaliamos quantas vezes for preciso se aquilo vale a pena ou não!!! Às vezes perdemos algo que seria bom pelo simples medo de arriscar. Por isso ser jovem tem suas vantagens.. Ai que saudade de outrora...

  O rapaz da situação que me enviou o conto de hj chama - se Eilton Ribeiro e tem 20 anos. Obg Eilton por participar do blog, mais uma vez seja bem - vindo!!!

   Se vc tem alguma história bacana ou vivenciou uma situação inusitada e quer que eu post aqui, vai na aba CONTATO ali em cima, e manda um email pra mim. Se não quiser identificação avise que colocarei nomes fictícios!! 
  Deixei sua opinião sobre o conto de hj nos comentários abaixo, é muito importante saber o que vcs estão achando dessa tag Contos!!

Boa semana!!
Bjos e um bater de asas!

Você Poderá Gostar

10 comentários:

  1. nossa, gostei! mas acho que o cara não merece perdão, viu u_u ele foi ruim com o amigo

    ResponderExcluir
  2. muito legal o texto, parabéns bjs
    http://crisartigosfemininos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá querida , obrigada por seguir meu blog , já estou te seguindo tbm =)
    bjs
    Aquarela Pink

    ResponderExcluir
  4. Olá Flor Gosteei muuito do seu blog suuper lindo e já estou seguindo ! Segue de Volta pf ?

    Meu Blog : simpleseperfeitaluanathaiana.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. li seu comentario no face e gostei muito do seu blog :}

    seguindo
    http://jackelinenuit.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ameii seu blog e o conto...
    quem sabe não o meu s2
    seguindo aqui
    bjus
    http://cantinhodafranh.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. o mais legal desse texto é que foi escrito por um menino heheheh ameiiii! Beijão

    http://www.museugirl.blogspot.com.br/2013/10/tutorial-de-maquiagem.html

    ResponderExcluir
  8. Obrigado por postar ^-^ Acho que a gente fica muito mais arrependido é pensando nas oportunidades que perdeu, não nos erros cometidos...

    ResponderExcluir
  9. Oi flor,
    Adorei o texto e a ideia deste tipo de post.
    É nessa idade que temos os maiores medos mas também as maiores descobertas *-*
    Enfim, estou seguindo...
    e a música da Legião... Perfeita!
    Meu blog:
    Oh cabelo!
    Sigo e retribuo todos (:
    beijo!

    ResponderExcluir
  10. Simplesmente amei o texto. Dá vontade de não parar mais de ler. Aqui lutando pra ficar acordada e ver o final.. Kkkk. Muito boa a ideia também, acho legal essa interação. Eu sabia, sabia que ela ia beijar ele! Hahaha. Muito bom mesmo. ^^. Beijos!
    www.15edai.blogspot.com

    ResponderExcluir